A FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE JOVENS PARA ALÉM DO MERCADO: O QUE PENSAM OS DOCENTES DE UMA ASSOCIAÇÃO PROFISSIONALIZANTE

  • Rodrigo dos Santos França Centro Universitário UNA - Rodrigo dos Santos França/Áurea dos Regina Guimarães Tomasi-Orientadora https://orcid.org/0000-0003-2783-3953
  • Áurea Regina Guimarães Tomasi
Palavras-chave: Docentes. Educação profissional. Percepção. Inovação social.

Resumo

Este artigo analisa as percepções de alguns docentes da Associação Profissionalizante do Menor (ASSPROM) em relação à formação de jovens em situação de vulnerabilidade social. Propôs-se uma análise da percepção docente relativa à formação oferecida para inserção no mercado de trabalho, tendo em vista uma contribuição técnica na área de educação voltada para o desenvolvimento local e não restrita somente à educação e ao mercado de trabalho, com características de inovação social. A fundamentação teórica foi baseada em autores que discorrem sobre as temáticas da juventude, do trabalho, da educação profissional para jovens e da inovação social. A metodologia adotada foi a qualitativa, com finalidade exploratória. Como procedimento de coleta de dados, adotou-se a entrevista semiestruturada, que foi transcrita e submetida à análise de conteúdo temático. Os resultados demonstraram que os docentes encontram diversos desafios e obstáculos, mas também possibilidades. Dessa forma, a pesquisa evidenciou a necessidade de modelos de educação profissional mais flexíveis, uma vez que estes têm mais condições de propor mudanças quando comparados a formatos rígidos na educação e no mundo do trabalho. Os docentes precisam desenvolver e fornecer ferramentas para que os jovens integrem processos inovadores e adaptem seu modo de agir em um futuro repleto de desafios.

Biografia do Autor

Rodrigo dos Santos França, Centro Universitário UNA - Rodrigo dos Santos França/Áurea dos Regina Guimarães Tomasi-Orientadora

FRANÇA, Rodrigo dos Santos

Assistente Social, estudante do Programa de Pós-Graduação em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local. Centro Universitário UNA.

rodrigo.asocial@ig.com.br

 

TOMASI, Áurea Regina Guimarães

Socióloga, mestre e doutora em Ciências da Educação e professora do

Programa de Mestrado Profissional Gestão Social, Educação

e Desenvolvimento Local.

Centro Universitário UNA.

aureagt@gmail.com

Referências

ABRUCIO, F. L. Formação de professores no Brasil: Diagnóstico, agenda de políticas e estratégias para a mudança, coordenação. São Paulo: Moderna, 2016.

AMARAL, O.C.S.; MELLO, E.M.R. Sustentabilidade em empreendimentos sociais: Um ensaio reflexivo para uma economia social local. Revista Agenda Social, Rio de Janeiro: v. 8, n. 1, 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de A. Rego & A. Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2014 (Obra original publicada em 1977).

BULATY, A. Os saberes docentes no contexto da implantação da proposta curricular do município de Irati/Paraná (2009/2012). 2014. 173 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2014.

CARBONELL, J. A aventura de inovar: a mudança na escola. Porto Alegre: Artmed, 2002.

CHARLOT, B. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez, 2013.

CIAVATTA, M. A historicidade das reformas da educação profissional. Cadernos de Pesquisa em Educação - PPGE/UFES. Vitória, ES. a. 11, v. 19, n. 39, p. 50-64, jan./jun. 2014a.

CIAVATTA, M. Emancipação: a historicidade do conceito e a polêmica no processo real da existência humana, Trabalho necessário, v. 12, n. 18. Artigos do Dossiê classe: Thompson 50 anos depois (UFF) 2014b.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. Educar o trabalhador cidadão produtivo ou o ser humano emancipado? Trabalho, Educação & Saúde [online], v. 1, n. 1, pp. 45-60, 2003.

FRIGOTTO, G. Juventude, trabalho e educação no Brasil: perplexidades, desafios e perspectivas. In: NOVAES, R.; VANNUCHI, P. (orgs.). Juventude e sociedade: trabalho, educação, cultura e participação. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

GUIMARÃES, A.Q.; ALMEIDA, M.E. Os jovens e o mercado de trabalho: evolução e desafios da política de empregos no Brasil. Revista Temas de Administração Pública, v. 8, n. 2, UNESP – Araraquara, 2015.

GUIRALDELLI, R. Trabalho, trabalhadores e questão social na sociabilidade capitalista. Caderno de Psicolocia, Sociedade e Trabalho, São Paulo, v. 17, nº 1, p. 101-115, jun. 2014.

HUME, David. Investigações sobre o entendimento humano e sobre os princípios da moral. Trad. José Oscar de Almeida Marques. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

MARX, K. El Capital. México: Fondo de Cultura Económica, 1973.

MANZINI, E.J. Considerações sobre a elaboração de roteiro para entrevista semi-estruturada. In: MARQUEZINE, M.C.; ALMEIDA, M.A.; OMOTE, S. (orgs.) Colóquios sobre pesquisa em Educação Especial. Londrina: EDUEL, 2003, p.11-25.

PAES, J.E.S. Fundações e entidades de interesse social. 9. ed., Brasília: Jurídica, 2017.

SAVIANI, D. A Pedagogia histórico-crítica, Revista Binacional:! Brasil! Argentina, Campinas, v. 1, n. 2. Campinas, 2007.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 10. ed. rev., Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

SOUZA, J. A tolice da inteligência brasileira: ou como o país se deixa manipular pela elite. São Paulo: LeYa, 2015.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

VEIGA, I.P.A.; FONSECA, M. A aventura de formar professores. Campinas: Papirus, 2012/2014.

XAVIER, A.R.C. Universidade Nova: desafios para a prática pedagógica numa perspectiva interdisciplinar. Rio Claro: UNESP, 2014

Publicado
2019-12-19