A CONTRARREFORMA DO ESTADO COMO FATOR DE AGRAVAMENTO NAS DESIGUALDADES DA SOCIEDADE BRASILEIRA

Palavras-chave: Palavras-chave, Neoliberalismo. Reforma do Estado. Desigualdade Social

Resumo

O presente trabalho tem por finalidade estudar as condições que favoreceram o surgimento do neoliberalismo como reação do capital à crise da década de 1970, com a implementação do Estado Mínimo e desregulamentação da economia em diferentes países. Aborda-se o projeto de reforma do Estado brasileiro, iniciado na década de 1990, sob o comando do então ministro da Reforma do Estado Luiz Carlos Bresser Pereira. Apresenta-se uma crítica a tal movimento, situando-o como uma contrarreforma, já que se trata de um ataque aos ganhos sociais obtidos pela luta das classes trabalhadoras. Explora-se o quadro de desigualdades sociais do Brasil, analisando-se as formas da pobreza sistêmica do mundo dominado pelo capital, sobretudo após a implementação da agenda neoliberal. E ainda, busca-se explicar o caráter latente de hierarquização e autoritarismo presentes na nossa sociedade brasileira, a partir da leitura de Chauí acerca “mito fundador” e do rito do “você sabe com quem está falando?”. Conclui-se que o ideário neoliberal é promotor de desigualdades e nos conflitos sociais.

 

 

Biografia do Autor

Alessandra Calil, Universidade de Taubaté

Mestre em Desenvolvimento Humano: formação política e práticas sociais

Referências

BEHRING, E. R. Brasil em contrarreforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. 2ª edição, São Paulo; Cortez, 2008.

CHAUÍ, M. Brasil: Mito Fundador e sociedade autoritária.

DAMATTA, R. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro, Rocco, 1997.

FERNANDES, F.. A Ditadura Militar e os Papéis Políticos dos Intelectuais na América Latina. A Universidade em uma sociedade em desenvolvimento. In: Circuito Fechado. Ensaios.

IAMAMOTO, M.V. Estado, classe trabalhadora e política social no Brasil. In: BOSCHETTI, I. et al. (Orgs.) Política Social no Capitalismo: tendências contemporâneas. São Paulo; Cortez, 2008, p. 13-43.

LOPES, J.R. Processos sociais de exclusão e políticas públicas de enfrentamento da pobreza. Cadernos CRH (online). 2008, vol. 21, nº 53, p. 347-360.

MANDEL, E. A Crise do Capital: os fatos e sua interpretação marxista. São Paulo. Ed. Ensaios. 1990.

PERRY, A. In SADER, E. & GENTILI, P. (orgs.) Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995, p. 9-23.

SOUZA, J. A tolice da inteligência brasileira. São Paulo. Leya. 2015.

Publicado
2019-12-19