QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO DE ARQUITETOS, ENGENHEIROS E OPERÁRIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL

Palavras-chave: arquiteto, engenheiro, operário, construção civil, qualidade de vida no trabalho

Resumo

O setor da construção civil tem passado por mudanças constantes devido à globalização econômica, ao desenvolvimento de novas tecnologias, ao aumento da concorrência, entre outros. Demanda grande quantidade de mão de obra e seus trabalhadores muitas vezes são recrutados em outros estados do país e abrigados em alojamentos precários, longe dos familiares, trabalham em condições sub-humanas enquanto a obra estiver sendo executada, sem garantia de continuidade no emprego, o que pode afetar a saúde e o desempenho dos mesmos. Nesse contexto, avaliar a Qualidade de Vida no Trabalho – QVT pode auxiliar gestores a implementar medidas para a melhoria da satisfação dos trabalhadores com relação ao trabalho. Este estudo apresenta uma pesquisa exploratória, descritiva com abordagem de natureza quantitativa, realizada por meio do Job Diagnostic Survey JDS, com 112 trabalhadores do setor da construção civil brasileiro. O objetivo é avaliar o nível de satisfação com o trabalho de arquitetos, engenheiros e operários, comparar seus resultados e contribuir com a discussão sobre QVT no setor. Constatou-se que a variável Satisfação com a Segurança no Trabalho obteve escore médio mais baixo, apontando pouca satisfação dos trabalhadores com aspectos como garantia de emprego, jornada de trabalho, ambiente físico, riscos do trabalho e segurança.

Biografia do Autor

José Pereira Leite Júnior, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
Edna Querido de Oliveira Chamon
Professora Doutora da Unitau e Pesquisadora da FEC-UNICAMP
Gladis Camarini, Centro Universitário de Minas Gerais

Professora Titular, Centro Universitário de Minas Gerais
Pesquisadora da FEC-UNICAMP

Referências

BERG, J. M.; WRZESNIEWSKI, A.; DUTTON, J. E. Perceiving and responding to challenges in job crafting at different ranks: When proactivity requires adaptivity. Journal of Organizational Behavior, v. 31, n, 2-3, p. 158–186, 2010. DOI: 10.1002/job.645

CAMARINI, G; CHAMON, E. M. Q. O. Qualidade de vida no trabalho: estado da arte na construção civil. In: CHAMON, E. M. Q. O. (org.). Qualidade de Vida no Trabalho. Rio de Janeiro-RJ: Brasport, 2011, p. 01-25.

CARNEIRO, R. S.; FALCONE, E.; CLARK, C.; DEL PRETTE, Z.; DEL PRETTE, A. Qualidade de vida, apoio social e depressão em idosos: relação com habilidades sociais. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 20, n. 2, p. 229-237, 2007.

FERNANDES, E. C.; BECKER, J. L. Qualidade de vida no trabalho: a realidade dos CPD’s. In: XII ENCONTRO DA ANPAD – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Belo Horizonte-MG. Anais …Belo Horizonte: 1988. CD-ROM.

CLEGG, C.; SPENCER, C. A circular and dynamic model of the process of job design. Journal of Occupational and Organizational Psychology, v. 80, p. 321–339, 2007.

GRAMKOW, A. Inovações tecnológicas e qualidade de vida no trabalho: estudo de casos na construção de edificações. In: 19° ENEGEP- Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Rio de Janeiro-RJ. Anais... Rio de Janeiro: 1999. CD ROM.

GILGEOUS, V. Manufacturing managers: their quality of working life, Integrated Manufacturing Systems, v. 9, n. 3, p. 173-181, 1998.

HACKMAN, J. R.; LAWLER, E. E. Employer reactions to job characteristics. Journal of Applied Psychology Monograph, v. 55, n. 3, p. 259-286, jun, 1971.

HACKMAN, J. R.; OLDHAM, G. R. Not what it was and not what it will be: The future of job design research. Journal of Organizational Behavior, v. 31, p. 463-479, 2010. DOI: 10.1002/job.678

HACKMAN, J. R.; OLDHAM, G. R. Development of the job diagnostic survey. Journal of Applied Psychology, v. 60, n. 2, p. 159-70, 1975.

HERZBERG, F. One more time: how do you motivate employees? Harvard Business Review, Boston: v. 46, n. 1, p. 53-62, jan/fev, 1968.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Anual da Indústria da Construção, Rio de Janeiro, v. 21, p.1-98, 2011, ISSN 0104-3412, IBGE, 2013.

KHENI, N. A.; DAINTY, A. R. J.; GIBB, A. Health and safety management in developing countries: a study of construction SMEs in Ghana. Construction Management and Economics, v. 26, p. 1159-1169, novembro 2008.

LEITE JÚNIOR, J. A. P.; PICCHI, F. A.; CAMARINI, G.; CHAMON, E. M. Q. O. Aplicabilidade de Instrumento para Avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho em um Canteiro de Obra. In: XIV ENTAC – ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 14., 2012. Juiz de Fora-MG. Anais... Juiz de Fora: UFJF, ANTAC, 2012. p. 376-384. CD ROM.

PARKER, S. K.; TURNER, N. Work design and individual work performance: Research findings and an agenda for future inquiry. In: SONNENTAG, S. (ed.). The psychological management of individual performance: A handbook in the psychology of management in organizations. Chichester, UK: Wiley, 2002, p. 69–93.

PARKER, S. K.; WALL, T. D. Work design: Learning from the past and mapping a new terrain. In: ANDERSON, N.; ONES, D. S. ; SINANGIL, H. K.; WISVESVARAN, C. (eds.). Handbook of industrial, work and organizational psychology. London: Sage, 2001, v. 1, p. 90–109.

PARKER, S. K.; WALL, T. D.; CORDERY, J. L. Future work design research and practice: Towards an elaborated model of work design. Journal of Occupational and Organizational Psychology, v. 74, p. 413–440, 2001.

RESENDE, M. C.; GOUVEIA, V. W. Qualidade de vida em adultos com deficiência física. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 24, n. 1, p. 99-106, 2011.

PICCHI, F. A. Oportunidades da aplicação do Lean Thinking na construção. Ambiente Construído, v. 3, n. 1, p. 7-23, jan./mar. 2003.

RODRIGUES, M. V. C. Qualidade de vida no trabalho: evolução e análise no nível gerencial. Petrópolis: Vozes, 1994.

SAMPAIO, J. R. Qualidade de vida no trabalho: perspectivas e desafios atuais. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 12, n. 1, p. 121-136, jan-abr, 2012.

SANT'ANNA, A. S.; KILIMNIK, Z. M.; MORAES, L. F. R. Antecedentes, origens e evolução do movimento em torno da qualidade de vida no trabalho. In: SANT'ANNA, A. S.; KILIMNIK, Z. M. (Orgs.). Qualidade de vida no trabalho: abordagens e fundamentos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011, p. 3-30.

SILVA, J.; SALDANHA, A. A. W.; AZEVEDO, R. L. W. Variáveis de impacto na Qualidade de vida de pessoas acima dos 50 anos HIH+. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 23, n. 1, p. 56-63, 2010.

SMAILES, J.; MCGRANE, A. Estatística aplicada à administração com Excel. São Paulo: Atlas, 2002.

TOLFO, S. R., PICCININI, V. C. As melhores empresas para trabalhar no Brasil e a qualidade de vida no trabalho: disjunções entre a teoria e a prática. Revista de Administração Contemporânea - RAC, v. 5, n. 1, p. 165-193, jan./abr. 2001. In: XXII Encontro Anual da ANPAD – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Foz do Iguaçu-PR. Anais... Foz do Iguaçu: 1998. CD ROM.

TURNER, A. N.; LAWRENCE, P. R. Industrial jobs and the worker. Boston: Harvard Graduate School of Business Administration (1965).

WALL, T. D.; CORDERY, J. L.; CLEGG, C. W. Empowerment, performance and operational uncertainty: A theoretical integration. Applied Psychology: An International Review, v. 51, n. 1, p. 146–169, 2002.

WALTON, R. E. Quality of working life: what is it? Sloan Management Review, v. 15, n. 1, p. 11-21, Outono, 1973.

Publicado
2017-10-24