O CONCEITO DE PRECARIEDADE E AS CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE JUDITH BUTLER PARA A COMPREENSÃO DA PRÁTICA POLÍTICA DA PSICOLOGIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32813/2179-1120.2020.v13.n2.a637

Palavras-chave:

Judith Butler. Precariedade. Contemporaneidade. Psicologia.

Resumo

Buscando a compreensão do conceito de precariedade na construção teórica de Judith Butler, o presente estudo orienta-se conforme o questionamento sobre como este conceito e os fundamentos teóricos da autora contribuem para a compreensão da contemporaneidade. Abordando a noção de contemporaneidade e sua aplicabilidade nos quadros de guerra, discute-se as formulações teóricas de Butler e logo as relaciona com debates pertinentes à Psicologia. Para tal, trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo, com natureza exploratória e caráter bibliográfico, especificando sua abordagem metodológica integrativa. A pesquisa de publicações foi realizada mediante uso das palavras-chaves “Judith Butler”; “Precariedade”; “Contemporaneidade” e “Psicologia”, dos quais foram considerados onze estudos que atenderam aos critérios de inclusão, estes correspondendo a estudos escritos na língua portuguesa e o ano de publicação dos artigos, sendo posto um recorte entre os anos de 2014 a 2019. Foi alcançado a análise sobre a construção teórica da autora, compreendendo o conceito de precariedade em sua obra. Apresenta-se que os resultados do então estudo apontam para a possibilidade de ser explorado as contribuições de autores que não necessariamente pertencem ao campo da Psicologia, mas que podem contribuir com o seu contínuo desenvolvimento enquanto campo teórico e prático. Pontua-se que abordar a precariedade não se trata de uma discussão a respeito de uma problemática especificamente relacionada à Psicologia ou que lhe seja totalmente alheia, mas que, semelhante a ela, faz parte do que podemos tomar enquanto contemporâneo.

Biografia do Autor

Francisco Francinete Leite Junior, Centro Universitário Dr Leao Sampaio - UNICAP e Universidade Católica do Pernambuco -UNICAP

Doutorando em Psicologia Clinica pela Universidade Católica do Pernambuco ( UNICAP) Mestre em Psicologia pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Graduado em História pela Universidade Regional do Cariri (URCA) e Graduado em Psicologia pela Faculdade Leão Sampaio (FALS), possui Especialização em Psicopedagogia Clinica e Institucional (KURIUS), História Social (URCA), Gestão Escolar (FJN) e Metodologia do Ensino Fundamental (FJN). Membro do Núcleo de Estudos Comparados em Corporeidade, Alteridade, Ancestralidade, Gênero e Gerações/ NECAGE da Universidade Federal do Cariri (UFCA). É Colaborador do Geni - Grupo de Estudos sobre Gênero, Sexualidade e Interseccionalidades na Educação e na Saúde (UERJ) e do LIEV - Laboratório Interdisciplinar de Estudos da Violência (FALS). Lider do Grupo de Pesquisa Psicologia e Subjetividades Contemporâneas ( UNILEAO) . Docente do Curso de Psicologia Centro Universitário Dr. Leão Sampaio- UNILEÃO. Membro do Comitê de Ética em Pesquisa do Centro Universitário Dr. Leão Sampaio- UNILEÃO

Maria Cristina Lopes de Almeida Amazonas, Universidade Católica de Pernambuco - UNICAP

Possui doutorado - UNIVERSIDAD DE DEUSTO (1999). Professora adjunto IV da Graduação em Psicologia e da Pós-graduação em Psicologia Clínica da Universidade Católica de Pernambuco. Coordenadora do programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica da UNICAP (2007 a 2009). Coordenadora Geral da Pós-Graduação da Universidade Católica de Pernambuco (de janeiro de 2010 a janeiro de 2018). Membro do Grupo de Pesquisa da ANPEPP "Formação e Rompimentos de vínculos (2006 a 2011). Membro do Grupo de Pesquisa "Psicologia, Sexualidade e Política" da ANPEPP (2012 a 2016). Membro do Grupo de Pesquisa da ANPEPP "Práticas psicológicas em instituição: atenção, desconstrução, invenção" (a partir de 2018). Membro do Grupo de Pesquisa "Família, Gênero e Interação Social" registrado no CNPq (desde 2001). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Social, atuando principalmente nos seguintes temas: Formação em Psicologia, Diversidade Sexual e de Gênero. Pesquisadora do CNPq, nível PQ II.

Hermógenes Abraão Paz Siqueira, Centro Universitário Dr Leão Sampaio

Graduado em Psicologia pelo Centro Universitário Dr. Leão Sampaio 

Referências

AGAMBEN, G. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Tradução de de Henrique Búrigo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

AGAMBEN, G. Estado de Exceção. Tradução de Iraci D. Poleti. São Paulo: Boitempo, 2004.

AGAMBEN, G. O Que é o Contemporâneo? e outros ensaios. Tradução de Vinicius Nicastro Honesko. Chapecó: Argus, 2009.

AMENDOLA, M. F. Formação em Psicologia, Demandas Sociais Contemporâneas e Ética: uma Perspectiva. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 34, n. 4, p. 971-983, dezembro de 2014. Disponível em < https://www.scielo.br/pdf/pcp/v34n4/1982-3703-pcp-34-4-0971.pdf >. Acesso em 05 de novembro de 2019.

BORBA, R. A linguagem importa? Sobre desempenho, performatividade e peregrinações conceituais. Cafajeste. Pagu, Campinas, n. 43, p. 441-474, dezembro de 2014. Disponível em < https://www.scielo.br/pdf/cpa/n43/0104-8333-cpa-43-0441.pdf >. Acesso em 13 de outubro de 2019.

BORGES, L. S. Feminismos, teoria queer e psicologia social crítica: (re) contando histórias... Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 26, n. 2, p. 280-289, agosto de 2014. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/psoc/v26n2/a05v26n2.pdf >. Acesso em 05 de novembro de 2019

BUTLER, J. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

BUTLER, J. Quadros de Guerra: quando a vida é passível de luto? 1. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

BUTLER, J. Os atos performativos e a constituição do gênero: um ensaio sobre fenomenologia e teoria feminista. Tradução de Jamille Pinheiro Dias. Cadernos de leitura, n. 78, 2018a. Disponível em: < https://chaodafeira.com/wpcontent/uploads/2018/06/caderno_de_leituras_n.78-final.pdf> Acesso em 07 de Setembro de 2019

BUTLER, J. Corpos em Aliança e a Política das Ruas: Notas Sobre Uma Teoria Performativa de Assembleia. Tradução de Fernanda Siqueira Miguens. 1ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018b.

BUTLER, J. A Vida Psíquica do Poder: Teorias da Sujeição. Tradução de Rogério Bettoni. 1º ed. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2019.

Conselho Federal de Psicologia – CFP. Resolução CFP Nº 011/98, de 22 de novembro de 1998. Institui a Comissão de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia.

Conselho Federal de Psicologia – CFP. (2005). Resolução CFP Nº 010/05, de 21 de julho de 2005. Aprova o Código de Ética Profissional do Psicólogo.

DEMETRI, F. D. Da vida nua à vida precária: o debate entre Giorgio Agamben e Judith Butler. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13th Women’s Worlds Congress, 2017, Florianópolis. Anais do XI Seminário Internacional Fazendo Gênero [recurso eletrônico]: 13th. Women’s Worlds, 2017. Disponível em < http://www.en.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1499478906_ARQUIVO_Davi danuaavidaprecaria-FelipeDutraDemetri-TrabalhoFazendoGenero.pdf> Acesso em 10 de Setembro de 2019.

DEMETRI, F. D.; TONELI, M. J. F. Performatividade contra a precariedade: modulações do sujeito político na obra de Judith Butler. Rev. psicol. polít., São Paulo, v. 17, n. 39, p. 318326, agosto, 2017. Disponível em: < http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519549X2017000200010&lng=pt&nrm=iso> Acesso em 08 de Outubro de 2019.

FLORES, J. H. A (re)invenção dos Direitos Humanos. Trad. Carlos Roberto Diogo Garcia; Antônio Henrique Graciano Suxberger; Jefferson Aparecido Dias. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2009.

FURLAN, V. Psicologia e Política de Direitos: Percursos de uma Relação. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 37, n. spe, p. 91-102, 2017. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/pcp/v37nspe/1414-9893-pcp-37-spe1-0091.pdf >. Acesso em 31 de outubro de 2019.

GRAÇA, R. Performatividade e política em Judith Butler: corpo, linguagem e reivindicação de direitos. Revista Perspectiva Filosófica, v. 43, n. 1, set. 2016. Disponível em: < https://periodicos.ufpe.br/revistas/perspectivafilosofica/article/view/230291/24499> Acesso em 07 de outubro de 2019

HUR, D. U.; LACERDA JUNIOR, F. Psicologia e Democracia: da Ditadura Civil-Militar às Lutas pela Democratização do Presente. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 37, n. spe, p. 3-10, 2017. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/pcp/v37nspe/1414-9893-pcp-37-spe10003.pdf> Acesso em 31 de outubro de 2019.

OLIVEIRA, Humberto Moacir de. O "Nostálgico" e o "Contemporâneo": algumas considerações sobre o lugar do psicanalista no século XXI. Cad. psicanal., Rio de Janeiro, v. 38, n. 34, p. 25-45, junho, 2016. Disponível em: < http://pepsic.bvsalud.org/pdf/cadpsi/v38n34/v38n34a02.pdf> Acesso em 08 de Setembro de 2019

ONU - Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos (versão em português). Brasil: ONU, 1948

SALIH, S. Judith Butler e a Teoria Queer. Tradução de Guacira Lopes Louro. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

SANTOS, A. R. B. D.. O conceito de precariedade em diálogo com o direito: repensando a Teoria Crítica dos Direitos Humanos. In: 13º Mundo de Mulheres & Fazendo Gênero 11: Transformações, conexões, deslocamentos, 2018, Florianópolis/SC. Anais do XI Seminário Internacional Fazendo Gênero [recurso eletrônico]: 13th. Women's Worlds. Florianópolis: UFSC, 2018. p. 1-10. Disponível em: < http://www.en.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1499365447_ARQUIVO_St00 9.ARBdosSantos.pdf> Acesso em 31 de outubro de 2019

SOLER, R. Apontamentos sobre o Contemporâneo em Giorgio Agamben. Profanações, v. 3, n. 2, p. 83-96, 20 dez. 2016. Disponível em: < http://www.periodicos.unc.br/index.php/prof/article/view/1237> Acesso em 08 de setembro de 2019.

Downloads

Publicado

2020-08-31