PESQUISA-FORMAÇÃO FENOMENOLÓGICA HERMENÊUTICA “HEIDEGGERIANA”:

(Auto)Cartografias de Professores em Navegação ao Autocuidado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32813/2179-1120.2020.v13.n1.a593

Resumo

O objetivo deste artigo teórico-reflexivo é apresentar e discutir alguns aspectos da Pesquisa-Formação Fenomenológica Hermenêutica “Heideggeriana”, de cunho metodológico qualitativo-implicado, que buscou enfatizar sua pertinência (auto)cartográfica, num processo formativo sobre o autocuidado. Para tanto, assume uma perspectiva multirreferencial (MACEDO, 2000), tendo no pensamento “heideggeriano” sobre o autocuidado seu ponto fulcral. Além disso, o artigo adota uma linguagem metafórica relacionada a navegação. Reúne contribuições advindas de Josso (2007), Longarezzi e Silva (2008), Barbier (2004), Boff (2014), Freire (2015), Bondía (2017), Gadamer (2002), Rogers (2002), Amatuzzi (2007), Souza e Francisco (2017) e Passos, Kastrup e Escóssia (2015). Os instrumentos de navegação, que marcam e registram percursos, condições e estados, foram denominados “(auto)Cartografia na formação: mapas de si”. Estes foram constituídos por: diários reflexivos, que contribuíram para os registros da (auto)reflexão; e as escritas de si mesmo e das práticas, que serviram como uma (ins)crita criativa, envolvendo a prática enquanto ser-no-mundo. A partir dessa navegação formativa, compreende-se que os espaços formativos são momentos em que os tripulantes-professores têm a possibilidade de experimentar a (auto)cartografia, no movimento de revelar-se e cobrir-se, até se desvelar de si mesmo, responsabilizando-se pelo cultivo do seu autocuidado. A (auto)cartografia por tripulantes-professores indica que a formação é deveras lugar de autocuidado, afetando o encontro de si e do outro, provocando preocupação, inquietude e senso de entrosamento para com suas ações e as da coletividade.

Biografia do Autor

Clara Maria Miranda de Sousa, Universidade de Pernambuco

Mestra em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares pela Universidade de Pernambuco – Campus Petrolina (UPE). Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER). Graduada em Pedagogia pela Universidade de Pernambuco - Campus Petrolina (UPE) e Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). Professora na rede estadual da Bahia.

Marcelo Silva de Souza Ribeiro, Universidade Federal Vale do São Francisco

Possui graduação em Psicologia pelo Centro de Ensino Superior de Maceió (1994), Especialização em Educação Especial (UFAL/1994) e Educação a Distância (SENAC  AL/2011), Especialização em Produção de Mídias para Educação Online (UFBA/2018), Mestrado em Educação em Pesquisa - Université du Québec (2003) e doutorado em Ciências da Educação - Université du Québec à Chicoutimi / Université du Québec à Montréal (2013). Atualmente é pós doutorando da UFBA, Departamento de Educação, vinculado ao grupo de pesquisa FORMACCE, tendo como orientador o prof. Roberto Sidnei Macedo. Professor adjunto da Universidade Federal do Vale do São Francisco, lotado no Colegiado de Psicologia, professor do Mestrado em Psicologia (Univasf), professor programa de Mestrado em Formação Docente da Universidade de Pernambuco - UPE (Campus Petrolina) e editor da Revista de Educação do Vale do São Francisco - Revasf. Coordena do projeto de pesquisa, “A relação das crianças com os seus pais o lugar da brincadeira”; em cooperação internacional com a Université du Québec à Trois Riviéres (UQTR). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Psicologia Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: infância, novas tecnologias, processos inclusivos e formação profissional. E-mail: mribeiro27@gmail.com

Publicado

2020-04-30