PERCEPÇÕES E CONTRIBUIÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA NA VOZ DOS DOCENTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32813/2179-1120.2020.v13.n2.a551

Palavras-chave:

Formação Continuada, Educação Infantil, Profissão Docente

Resumo

Este estudo se refere a um recorte da dissertação de mestrado da pesquisadora, que tem como título: “SIM, EU SOU PROFESSORA: formação continuada na visão do docente da educação infantil”, defendida em fevereiro de 2019, e por objetivos identificar e compreender a visão das docentes atuantes na Educação Infantil, no que tange à formação continuada e em serviço da qual participam e se esta contribui ou não para a sua profissão. Para isso optou-se por uma pesquisa descritiva, de abordagem qualitativa, na qual o alcance dos dados se deu por meio de entrevistas semiestruturadas e relatos de vida profissional docente, expressos em diários reflexivos, apoiados em narrativas autobiográficas. Foram entrevistadas 7 professoras da rede municipal de uma cidade do Vale do Paraíba Paulista, uma de cada região da cidade, sendo duas na região sul, região que apresenta o maior número de escolas de educação infantil. Os dados obtidos foram estudados a partir da metodologia de análise de conteúdo e interpretados a partir das contribuições teóricas de autores como Freire (2019), Nóvoa (2017), Oliveira (2017), Angotti (2014), Gatti (2010), Marcelo García (2009), entre outros. As análises dos dados nos revelaram que as professoras reconhecem que o programa de formação continuada oferecido pela referida rede municipal contribuiu com a sua profissão, no tocante a momentos oportunos para estudo, trocas de experiências, reflexão sobre a prática. As vozes das 7 professoras participantes também expressaram
o desejo de maior participação destas nos processos formativos, ressaltando que estes devem abarcar o intercâmbio dos docentes com os pares de outras unidades escolares, especialistas e pesquisadores da educação, além de serem sujeitos desta formação, com autoria e autonomia do delineamento desta a partir das reais necessidades que emergem do seu trabalho.

Biografia do Autor

Daniela Cristina Beraldo dos Santos Silva, Universidade Estácio de Sá e Universidade de Taubaté

Doutoranda em Educação: Universidade Estácio de Sá/Universidade de Taubaté (2019). Mestre em Desenvolvimento Humano: Contextos, Práticas Sociais e Desenvolvimento Humano - Universidade de Taubaté (2019). Graduada em Artes Visuais - FAMOSP (2015). Especialista em Psicopedagogia Clínica - Centro Universitário Claretiano (2011). Especialista em Psicopedagogia Institucional - Centro Universitário Claretiano (2008). Licenciada em Pedagogia: Docente dos anos iniciais do Ensino Fundamental, Orientação e Supervisão Escolar - Faculdade de Educação Thereza Porto Marques - Jacareí - SP (2005). Professora: Magistério - Instituto de Educação Thereza Porto Marques - Jacareí - SP (1993). Atua na Educação desde 1994, foi docente da Educação Básica, Orientadora Educacional e Pedagógica. Atendeu crianças com dificuldades de aprendizagem, em consultório particular (2011 a 2017), cessando temporariamente essa atividade para poder se dedicar ao mestrado. Foi docente do Ensino Superior (2011 a 2017). É Orientadora do polo UNIVESP, São José dos Campos, que funciona dentro da Universidade Aberta do Brasil, no Centro de Formação do Educador Leny Bevilacqua.

Maria Aparecida Campos Diniz, Universidade de Taubaté

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade de Taubaté (1983), mestrado em Educação (Psicologia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1995), doutorado (2000) e Pós-doutorado em Educação: Psicologia da Educação (2004-2006) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo com pesquisa realizada sobre o tema "A Constituição dos Saberes, o Pensar e o Agir mais Resiliente na Gestão: Percursos de Formação e Desenvolvimento Profissional", sob orientação da Profª Drª Vera Maria Nigro de Souza Placco. Foi professora colaboradora doutora da Universidade de Taubaté, no quadro docente efetivo do Departamento de Pedagogia. Foi membro do Conselho Universitário da UNITAU, Coodenadora Geral da Central de Estágios (2006-2010) e responsável pela Coordenação Pedagógica da Educação a Distância na Universidade de Taubaté (2006-2011). Ocupou o cargo em comissão de Diretora na Secretaria de Educação Municipal de Taubaté, entre janeiro de 2012 a novembro de 2014. Atualmente atua como: pesquisadora e coordenadora de projetos de pesquisa financiados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento Educacional CAPES e PIBID; coordenadora do grupo de pesquisa e linha 3 e docente do Mestrado em Desenvolvimento Humano: Formação, Politicas e Práticas Sociais; professora dos cursos de pós-graduação em diversas áreas com a disciplina Didática e Metodologia do Ensino Superior e Psicologia da Educação e do Desenvolvimento e Programas de Formação Continuada numa parceria da Universidade com a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo; atuou como coordenadora do curso de Pós-graduação em Gestão Escolar para formação de profissionais da educação para Administração, Planejamento, Inspeção, Supervisão e Orientação Educacional para Educação Básica; atuou também como professora adjunta e pesquisadora do Centro Universitário Modulo e da Universidade Cruzeiro do Sul e exerceu a função de assessora de relações institucionais pela Fundação Universitária de Taubaté (FUST). Atualmente: (i) orienta alunos do Programa de Mestrado Acadêmico em Desenvolvimento Humano e Mestrado Profissional em Educação, ambos pela UNITAU; e (ii) coordena curso de graduação na Faculdade Dehoniana. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Gestão Educacional e Formação Continuada, especialista nos seguintes temas: Desenvolvimento humano, aprendizagem e cognição do adulto, formação profissional docente, constituição dos saberes pedagógicos, gestão escolar e resiliência.

Referências

ARAGÃO, Milena; KREUTZ, Lúcio. Representações sobre a atuação docente na educação infantil. Revista de Educação da PUC, Campinas, v. 18, p. 9-17, jan./abr. 2013.

AZEVEDO, Priscila Domingues de. O conhecimento matemático na Educação Infantil: O movimento de um grupo de professoras em processo de formação continuada. 242 f. (Tese de Doutorado em Educação). São Carlos, Universidade Federal de São Carlos, 2012.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BARROS, Bruna Cury de. Ser professora iniciante na Educação Infantil: aprendizagens e desenvolvimento profissional em contexto de enfrentamentos e superações de dilemas. 159 f. (Dissertação de Mestrado em Educação Escolar). Araraquara, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, 2015.

BARROS, Rozane Marcelino de; MEDEIROS, Cristina Carta Cardoso de. A Formação continuada em serviço dos profissionais atuantes nos centros municipais de educação infantil: estudo de caso na cidade de Curitiba. Revista Poiésis. Unisul, Tubarão, v.8, n.14, p. 468 a 487, jul./dez. 2014.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Brasília: Senado Federal, 1989. 336 p.

_______. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia. Brasília: MEC, 2009.

_______. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. In: BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica. Brasília: MEC, 2009. p. 80-71.

_______. Lei de Diretrizes e Bases Nacional. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 1996. 58 p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. 43ª Edição, São Paulo: Paz e Terra, 2014. 144 p.

IMBERNÓN, Francisco. Formação Continuada de Professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de Vida e Formação. São Paulo: Cortez, 2004.

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus Professor, Adeus Professora? São Paulo, Editora Cortez, 2009.

MENDES, Rosane Penha. et al. Formação continuada e prática pedagógica: O que pensam as professoras que atuam na pré-escola. Educação: Teoria e Prática. Rio Claro, Vol. 26, n.51/ p. 97-111/ jan. /abr. 2016.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

MONÇÃO, Maria Aparecida Guedes. Gestão Democrática na Educação Infantil: o compartilhamento da educação da criança pequena. São Paulo: USP, 2013.

NÓVOA, Antonio. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, Antonio. (org.). Vidas de professores. Porto: Porto, 2007.

OLIVEIRA, Zilma Maria Ramos de. O trabalho do professor na educação infantil. São Paulo: Biruta, 2017.

ROMANO, Erica Carolina. Concepções e Corporeidades Docentes na Educação Infantil. 200 f. (Dissertação de Mestrado em Educação Escolar) Araraquara, UNESP, 2015. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/127887. Acesso em 12. Ago. 2017.

SARRAIPO, Maria Aparecida dos Santos. Formação Continuada e Desenvolvimento Humano: análise do programa de aperfeiçoamento profissional do governo do Estado de São Paulo. 151 f. (Dissertação de Mestrado em Desenvolvimento Humano) Taubaté, UNITAU, 2014. Disponível em: https://mpemdh.unitau.br/wp - content/uploads/2012/dissertacoes/Maria-Aparecida-dos-Santos-Sarraipo.pdf . Acesso em 17. Jun. 2017.

Downloads

Publicado

2020-08-31