OS PLANOS GENÉTICOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO: A CONTRIBUIÇÃO DE VIGOTSKI

  • Elaine Andrade Moura Universidade Federal de Juiz de Fora.
  • Mayara Silva da Mata
  • Pedrita Reis Vargas Paulino
  • Ana Paula Freitas
  • Carlos Alberto Mourão Júnior
  • Cláudia Helena Cerqueira Mármora
Palavras-chave: Desenvolvimento humano, Filogênese, Ontogênese, Sociogênese, Microgênese.

Resumo

A noção de desenvolvimento está atrelada a um contínuo de evolução ao longo de todo o ciclo vital que, segundo a proposição de Vigotski, grande estudioso do tema, o desenvolvimento e a transformação dos indivíduos acontecem a partir dos planos genéticos do desenvolvimento humano (filogênese, ontogênese, sociogênese e microgênese). Com isso, o objetivo deste estudo foi abordar os planos genéticos como uma matriz de entendimento dos fenômenos que compõem as etapas da evolução humana. A filogênese estuda a evolução das espécies, por meio da adaptação progressiva desde os seus primórdios, abordando tanto as predisposições biológicas quanto as características gerais do comportamento humano. A ontogênese refere-se à evolução humana, iniciada na concepção, seguida de transformações sequenciadas até a morte, de tal forma que cada estágio apresenta um determinado nível de maturidade. A sociogênese estuda as interações sociais como sendo as raízes das funções mentais superiores, que só passam a existir no indivíduo na relação mediada com o mundo externo. A microgênese é caracterizada pela emergência do psiquismo individual no cruzamento dos fatores biológico, histórico e cultural, sendo crucial na questão da afetividade e no conceito de personalidade. Portanto, é de suma importância adensar estudos acerca de conhecimentos sobre esta perspectiva do desenvolvimento, os planos genéticos, que, uma vez juntos, vão caracterizar a gênese dos processos psicológicos no ser humano.

Biografia do Autor

Elaine Andrade Moura, Universidade Federal de Juiz de Fora.
Professor Associado da UFJF.

Referências

ALVES, J. M. As formulações de Vygotsky sobre a Zona de Desenvolvimento Proximal. Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, v. 1, n. 2, p. 11-16, 2005.

ANDRADE, J. J.; SMOLKA, A. L. B. Reflexões sobre desenvolvimento humano e neuropsicologia na obra de Vigotski. Psicologia em Estudo (Impresso), v. 17, p. 699-709, 2012.

AQUINO, J. G. Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus editorial, 1997.

ARANTES, V. A. Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus editorial, 2003.

BALDWIN, J. Though and Things: A Study of the Development and Meaning of Thought. London: Swan Sonnenschein & Co, 1906.

BEDIM, A.; OLIVEIRA, L. O jornal impresso e a questão ambiental: uma perspectiva baseada da teoria de Vygotsky. Ensino, Saúde e Ambiente, v. 5, n. 2, p. 25-32, 2012.

BLACK, J. E. How a child builds its brain: some lessons from animal studies of neural plasticity. Preventive Medicine, v. 27, p. 168-171, 1998.

BLANK, G. Para ler a psicologia pedagógica de Vygotsky. Porto Alegre: Artmed, 2003.

BODROVA, E.; LEONG, D. J.; AKHUTINA, T. V. When everything new is well-forgotten old: Vygotsky/Luria insights in the development of executive functions. New Dir Child Adolesc Dev, v. 133(Fall), p. 11-28, 2011.

BRANCO, A.U. Sociogênese e canalização cultural: contribuições à análise do contexto das salas de aula. Temas em Psicologia, v. 1, n. 3, p. 9-17, 1993.

CASTRO, F. S. Letramento e alfabetização: sociogênese e/ou psicogênese, quais os caminhos da apropriação da escrita. Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

CHUGANI, H. T. A critical period of brain development: Studies of cerebral glucose utilization with fiser. Preventive Medicine, n. 27, p. 184-187, 1998.

DE LA TAILLE, Y.; OLIVEIRA, M. K.; DANTAS, H. Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. 8. ed. São Paulo: Summus, 1992

FEATHERMAN, D. L.; LERNER, R. M. Ontogenesis and Sociogenesis: problematics for theoty and research about development and socialization across the lifespan. American Sociological Review, v. 50, p. 659-676, 1985.

FONSECA, V. Gerontopsicomotricidade: uma abordagem ao conceito da retrogênese psicomotora. In: Fonseca V. Psicomotricidade: filogênese, ontogênese e retrogênese. (pp. 343-381). Porto Alegre: Artes Médicas, 2009.

FREITAS, N. K. Desenvolvimento humano, organização funcional do cérebro e aprendizagem no pensamento de Luria e de Vygotsky. Ciência e Cognição, v. 3, n. 9, p. 91-96, 2006.

GÓES, M. C. R. A abordagem microgenética na matriz histórico-cultural: uma perspectiva para o estudo da constituição da subjetividade. Cadernos Cedes, v. 20, n. 50, p. 9-25, 2000.

GUTIÉRREZ, A. G. Microgenesis, Method and Object: A Study of Collaborative Activity in a Spanish as a Foreign Language Classroom. Applied Linguistics, v. 29, n. 1, p. 120-48, 2008.

HUANG, H. Structure of the fetal brain: what we are learning from diffusion tensor imaging. Neuroscientist, v. 16, n. 6, p. 634-639, 2010.

LURIA, A. L. The working brain: an introduction to neuropsychology. New York: Basic Books, 1973.

MÁRMORA, C. H. C. A (a)praxia na doença de Alzheimer. Juiz de Fora: Editora da UFJF, 2013.

MEAD, G. Mind, self and society. University of Chicago Press, 1934.

MOLL, H.; TOMASELLO, M. Cooperation and human cognition: the Vygotskian intelligence hypothesis. Philos Trans R Soc Lond B Biol Sci, v. 362, n. 1480, p. 639-648, 2007.

MOURA, M, L. S. O bebê do século XXI e a psicologia do desenvolvimento. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1993.

PAPALIA, D. E.; OLDS, S. W.; FELDMAN. R. D. Desenvolvimento humano. 10. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

REGO, T. C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

RHODES, F. H. T. Evolution. Nova Iorque: Golden Press, 1974.

SANTANA, S. M.; ROAZZI, A.; DIAS, M. G. B. B. Paradigmas do desenvolvimento cognitivo: uma breve retrospectiva. Estudos de Psicologia, v. 11, n. 1, p. 71-78, 2006.

SCHERER, C. A. A contribuição da música folclórica no desenvolvimento da criança. Educativ, v. 13, n. 2, p. 247-60, 2010.

SILVA, E. R. As relações entre cognição e afetividade em LA: a influência de Vygotsky nessa abordagem temática. Soletras, v. 15, p. 133-140, 2008.

SMOLKA, A. L. B. Social practice and social change: activity theory in perspective. Human Development, v. 44, n. 6, p. 362-367, 2001.

VELASCO, C. G. Retrogênese: um processo a ser verificado. In: Velasco, C.G. Aprendendo a envelhecer à luz da psicomotricidade (p. 61-63). São Paulo: Phorte Editora, 2006.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R. Estudos sobre a história do comportamento: o macaco, o primitivo e a criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11. ed. São Paulo: Ícone, 2010.

WERNER, J. Análise microgenética: contribuição dos trabalhos de Vigotski para o diagnóstico em psiquiatria infantil. Int. J. Prenataland Perinatal Psychologyand Medicine, v. 11, n. 2, p. 157-171, 1999.

WERTSCH, J. V. The significance of dialogue in Vygotsky’s account of social, egocentric and inner speech. Contemporary Educational Psycology, v. 5, p. 150-162, 1980.

WERTSCH, J. V. Vygotsky and the social formation of mind. Cambridge: Harvard Ed., 1985.

Publicado
2016-07-01